TIRE O SEU RACISMO DO CAMINHO QUE EU QUERO PASSAR COM A MINHA COR. Georges Najjar Jr

CONTATOS


Gledson Vasconcelos Cruz- Professor e Historiador.
gledsoncruz23@hotmail.com
gledson.cruz@ufba.br



4 comentários:

  1. injuria racial, humilhação, em loja do Shopping Barra.

    Venho através de contato, mostrar minha indignação pelo ocorrido, hoje 04/01/2013. às 10:30hs, Por eu Tiago Barbosa,
    sofri um desconforto nunca sentido antes, ao atender um cliente na loja em qual trabalho no shopping Barra a Richards,
    atendi um senhor aparentemente tranquilo, para realizar uma troca qualquer como de rotina, o mesmo de codinome,
    José Carlos de Lima Poroca, ao saber que na loja não tinha a peça com a numeração que o desejava, se exaltou de
    tal forma, a ponto de usar da sua influencia como "SUPERINTENDENTE do SHOPPING BARRA" o mesmo, gritava em
    alto e bom som eu sou Supert. do Barra... Começou a gritar.. "eu que queria uma vale", vale esse extinto pela Richards em Novembro de 2012,
    ao dizer que não tínhamos, mas o vale.. ele pediu pra falar com a gerente, eu então, o disse que a gerente estaria de folgar e retornava,
    na sexta 05/01/2013.. Então, o José Carlos, foi até ao balcão e pediu pra falar com a gerente novamente e o colega responsável pela loja na ausência
    da gerente, falou "seu José, eu escutei a conversar e o que o Tiago, falou é o novo procedimento, não trabalhamos mais com vale richards"
    rapidamente o José Carlos, se vira pra mim gritando e me agredindo verbalmente e moralmente, "você, vai trocar, eu sou superintendente do shopping do
    Barra, seu filha da puta, miséria, esse tipinho não deveria trabalhar no shopping" com o dedo levantado e apontado pro meu rosto.
    Me sentir, humilhado, discriminado, sendo denegrido daquela forma, por um ser de pura insignificância.

    O José Carlos de Lima Poroca, não tem nenhuma conduta moral pra gerir a super, do equipamento Shopping Barra.

    Prestei uma B.O. na delegacia mais próxima, por tudo que me foi dito naquele momento.. espero agora que a justiça faça sua parte.

    Att. Tiago Barbosa.

    Salvador, Bahia. 04/01/2013

    ResponderExcluir
  2. conrack


    Sinopse e detalhes


    Ilha de Yamacraw, Carolina do Sul, março de 1969. O branco Pat Conroy (Jon Voight), que no passado fora racista, chega para ser professor numa escola que tem como alunos crianças negras pobres. Na verdade toda a ilha é habitada por negros pobres, com exceção de um comerciante, que tem um pequeno negócio. A sra. Scott (Madge Sinclair), a diretora da "escola" - que é pouco mais de uma cabana - só o chama de Patroy e seus alunos de Conrack não conseguem dizer Conroy, pois no isolamento criaram seu idioma. Eles são analfabetos, não conseguem contar e nem sabem em qual país vivem. Pat tenta trazer uma educação de melhor nível, mas o primeiro obstáculo é a sra. Scott, pois chama os alunos de lentos e preguiçosos, acabando com a auto-estima deles. Além disto, ela crê que a única forma de educá-losé no chicote. Pat responde jogando fora o livro de regras e lições pedagógicas. Os estudantes respondem avidamente quando ele toca música clássica, lhes mostra filmes, lhes ensina a nadar e explica a importância de escovar os dentes. Porém o chefe de Pat, o sr. Skeffington (Hume Cronyn), que mora numa cidade próxima, está insatisfeito com os métodos de Pat, que não tem medo de dizer que racismo é em grande parte culpado pela negligência dos estudantes.


    para sua lista de filmes

    ResponderExcluir
  3. https://www.youtube.com/watch?v=1-gqFmKt_vs&feature=gp-n-y&google_comment_id=z12wsvdatwftez1ax04cil4q3r33v1tgtzo0k

    Esse foi dos melhores vídeos que assisti sobre o assunto.

    ResponderExcluir